7 dicas de como fazer uma boa descrição do imóvel

7 dicas de como fazer uma boa descrição do imóvel

Uma boa descrição do imóvel é essencial para atrair mais contatos e aumentar a possibilidade de se fechar um negócio

Os consultores imobiliários sabem que para atrair mais contatos tem que mostrar aos clientes tudo que de bom existe num imóvel. Muitos preocupam-se apenas com o aspeto físico do mesmo, tais como fotos e vídeos, o que não deixa de ser extremamente importante para quem procura um imóvel online, todavia isto faz com que grande parte dos profissionais se esqueça de compor uma boa descrição do imóvel.

Falar da moradia ou do apartamento é relevante porque além de imagens, os clientes querem saber como é morar no imóvel e, igualmente, naquela localização.

 Além de aspetos do apartamento os clientes procuram saber como é o redor do mesmo, através de opiniões sobre estabelecimentos da zona, vizinhança, entre muitos outros fatores, de maneira a formar uma opinião mais coerente e tomar uma decisão assertiva.

 Daí podemos concluir que além de falar das características do imóvel e mostrar o seu “aspeto físico”, num anúncio, a descrição é uma ferramenta igualmente (ou mais) importante para chamar a atenção dos clientes e originar mais contatos.

Deste modo deixamos-lhe 7 dicas para fazer uma boa descrição do imóvel:

1 – Descreva a vida que a pessoa vai ter

As pessoas não compram apenas um imóvel, elas compram um estilo de vida. Hoje em dia o cliente quer saber o que vem junto com o investimento. Como será o dia-a-dia na vizinhança? Quais as facilidades/acessibilidades que terá nas redondezas? Poderá realizar as suas atividades diárias naquele local ou precisará de se deslocar muito?

 Em caso de venda de um imóvel usado, o consultor imobiliário pode até conversar com o atual proprietário para ter uma resposta mais coerente sobre estas questões e realizar uma descrição mais rica e realista sobre este assunto.

O que a maioria das mediadoras imobiliárias estão a fazer é: encantar os potenciais compradores pelo lado emocional, relatando casos reais, um exemplo que diariamente nos deparamos, é que a família (antigos proprietários) usufruíram de momentos maravilhosos enquanto habitaram o imóvel. No entanto, os filhos deixaram a casa para trabalhar ou estudar fora, e os pais (proprietários) decidiram mudar-se para outro imóvel e sublinharam desejar que os próximo proprietários/moradores também fossem felizes como eles foram naquele lugar.

2 – Identifique o seu público-alvo

É crucial que na descrição do imóvel o consultor imobiliário responda às necessidades dos potenciais clientes. Traçar o perfil do cliente e fazer um intersecção com as características do imóvel ajuda a fazer um texto atrativo. Por exemplo, quem procura imóveis de tipo T1, próximo a uma zona com vida noturna agitada, comércio, transportes, etc, muito provavelmente vai morar sozinho ou com, no máximo, outra pessoa. Além disso está à procura de facilidade para chegar ao trabalho e aos locais de diversão. O que é interessante falar para esse cliente?
Exatamente isso, tudo o que ele precisa de ouvir, aquilo que realmente tem em torno do imóvel e que responde exatamente às suas necessidades.

3 – Destaque as principais qualidades do imóvel

É sempre bom fazer alguns destaques na descrição em forma de lista. Por exemplo, se em alguma parte do anúncio foi dito que naquela zona tem bastante acessibilidades a pontos de interesse, pode (e deve) vir logo em seguida uma lista do género:

Estação de metro a 5 minutos a pé;
Supermercado ao lado do imóvel;
Shopping center a 10 minutos;
Rua com bares a 3km;
Hospital Público a 6km.

4 – Faça uma descrição de fácil de compreensão

Tenha muito cuidado com o português. A nossa língua é “traiçoeira” e um erro gramatical pode prejudicar o interesse pelo imóvel. Mas antes mesmo de pensar na venda, escrever bem é um cuidado que o consultor imobiliário demonstra com a imagem da sua própria empresa/imagem.

A mensagem da descrição do imóvel deve ser clara e de fácil compreensão. Para ter certeza de que o que quer dizer está realmente escrito no anúncio, peça para outras pessoas lerem e pergunte-lhes o que entenderam. Se elas tiverem dúvida é porque algum ponto da descrição não ficou realmente explícito e precisa ser reescrito ou retirado. Compartilhar textos com outras pessoas é a melhor forma de saber se a comunicação está clara.

5 – Use nome de marcas

Todas as pessoas pretendem adquirir um produto de qualidade. Com um imóvel não é diferente. O corretor sabe que são muitas as variáveis que determinam a qualidade de um imóvel.

Os clientes, assim como todos nós, têm marcas de referência e, talvez possa fazer a diferença destacar quais as empresas que elaboraram os detalhes do imóvel.

Nós explicamos. As torneira, por exemplo, fale na descrição do imóvel quem as fabricou. E o armário da cozinha que já faz parte do imóvel? Onde foi comprado? Quem é o fabricante? Se for de uma boa marca, o cliente sabe que terá durabilidade e não precisará de se preocupar com um novo por um bom tempo.

Visualize tudo que o imóvel tem de melhor e destaque as marcas na descrição. O cliente verá muita mais qualidade, segurança e confiança.

6 – Faça a ligação entre o texto e a imagem

Anteriormente falamos sobre a parte visual do anúncio. Apesar de ter uma produção diferente, ela deve estar ligada à descrição feita no anúncio. As pessoas querem entender o que vêm nas fotos e vídeos, dessa forma o consultor imobiliário deverá explicar igualmente no anúncio, direta ou indiretamente, o que está a mostrar em imagens/vídeo.

Se publica a imagem de uma zona de diversão infantil, diga que o imóvel tem um parque destinado para as crianças. Se as fotos mostram três WCs diferentes, não diga apenas a quantidade, reforce onde cada um deles fica no imóvel. Os espaços de imagem e textos existem justamente para serem complementos. Um precisa dizer o que o outro apenas tenta expressar.

7 – Tenha uma linguagem própria

Criar uma maneira única de comunicar com os clientes é um dos desafios de qualquer empresa. Como quero passar a minha imagem para as pessoas? Como encontro as características que me destacam dos concorrentes? Algumas empresas recorrem à consultoria com especialistas para encontrar estas respostas.

Encontrando a própria identidade, a empresa tem que cuidar da sua linguagem. A maneira que fala com as pessoas. Essa forma de se expressar facilitará na altura de escrever um anúncio. Se quero conversar, por exemplo, com clientes da terceira idade, tudo indica que devo ser mais sério. Se vou falar com estudantes ou recém-formados, posso ser mais informal. A consequência do cuidado com a linguagem ajudará o consumidor a facilmente se identificar consigo e com a sua empresa.

Este artigo foi-lhe útil? 

Se sim, deixe o seu comentário abaixo, partilhe-o com os seus amigos e subscreva a nossa Newsletter para ficar a par das próximas dicas, sugestões e todos os artigos do seu interesse. 

[mc4wp_form]

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *