Imóvel em Exclusivo. Sim ou Não?

Imóvel em Exclusivo. Sim ou Não?

Ora cá está a questão sacramental para quem vende. O exclusivo é bom ou não? Que vantagens terá o proprietário? O contrato de exclusividade é uma prisão?

Tentarei não abusar da vossa paciência, ao mesmo tempo que tentarei ser claro e objetivo nesta questão.

Ao assinar um contrato de exclusividade com uma agência imobiliária, como é evidente, está a assumir que o processo de venda passará, em exclusivo por ela, pelo que, fica “preso” ao dito contrato, pelo menos durante o tempo que vigorar. Caso a agência não consiga vender o imóvel no prazo estipulado e, desde que o proprietário (ou a agência imobiliária) não denuncie o contrato, este renovar-se-á automaticamente pelo tempo mencionado no documento. Por isso, é fundamental que tenha muito presente que, ao assinar uma ligação deste cariz, é imprescindível conhecer o tempo de vigência do mesmo, bem como outras cláusulas do contrato que lhe permitam, em caso de desagrado, ou outros motivos legais presentes e expressos no contrato, desvincular-se do mesmo.

Se optar, logo à partida, por gerir todo o processo de venda, julgo que o ideal é retirar parte do seu tempo disponível para o efeito, de modo a garantir que está por dentro de tudo, desde a publicidade, promoção nas redes sociais, resposta e acompanhamento dos potenciais clientes, visitas, até à compilação de toda a complexa documentação (do imóvel, da parte vendedora, da parte compradora, do processo de crédito bancário, etc, etc…) exigida por lei, que irá culminar, se tudo correr bem, no agendamento e assinatura da escritura. Como é evidente, se gerir perfeitamente todas estas questões, então o lucro da venda, os proveitos dessa operação financeira serão seus e seus somente.

Todavia, e observando atentamente centenas de casos (quase diariamente) constato que tudo o que mencionei atrás não se verifica na realidade nem na totalidade, quer por desconhecimento da lei, por não saber, por exemplo, onde conseguir a documentação, ou até por se cometerem erros graves na promoção do imóvel em portais e redes sociais. De facto, o ramo imobiliário é muito particular, é uma espécie de mercado que se rege por norma muito estreitas, pelo que, é fundamental estudar muito bem o processo. Atente-se no exemplo prático: um imóvel que é promovido no portal “Idealista”, mas também em diversas agências imobiliárias, com fotografias diferentes e, em alguns casos (reais), com preços diferentes, com o intento de atrair rapidamente compradores. O resultado, com mais de 90% de certeza, será exatamente o inverso. Muitas imagens, fotos de não sei quantos ângulos, com perspetivas XPTO, fotografias amadoras, com roupa pessoal nas cadeiras, comida espalhada na cozinha, papel higiénico e tampa da sanita levantada, têm o efeito repelente, provocam confusão no cliente. Entendo, por isso, que devemos evitar, a todo o custo, causar ruído desnecessário, confusão, porque afasta o potencial cliente. Uma linha única orientadora, um layout personalizado, um interlocutor, intermediário evita o tal ruído, revelando o melhor do imóvel, sem grandes artificialismos.  Além disso, julgo que é imprescindível uma voz orientadora, que tome a iniciativa e negoceie com transparência, sem preços suspeitos, que “queimam” autenticamente o imóvel, numa só plataforma, para dar segurança ao cliente.

A agência conhece a lei, faz do tempo o seu tempo, dedica-se ao imóvel, porque quer ter proveitos com o negócio. Aliás, existem dados objetivos, estudos realizados, que comprovam que as agências imobiliárias conseguem obter melhores resultados, mais proveitos no negócio, do que o particular. Nesse sentido, a burocracia que mencionei anteriormente é da inteira responsabilidade da agência, é ela que procurará, no prazo estipulado, reunir todas as condições, para a realização da operação, evitando maçadas, trabalho desnecessário, tempo mal gasto, ao cliente, procurando, claro está, o seu lucro, mas essencialmente, a satisfação do cliente, porque, garantidamente, tornará a estabelecer contacto num futuro negócio e partilhará a experiência positiva com amigos ou familiares.

Desta forma, e perdoem-me a parcialidade, prefiram a exclusividade. É claro que poderão alegar más experiências, mas no geral, o negócio realizado sob exclusividade é mais seguro, mais confortável, melhor…

Quer vender o seu imóvel? Fale já connosco!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *