Investimento imobiliário como já não era visto há uma década

Investimento imobiliário como já não era visto há uma década

Desde 2007 que o setor imobiliário nacional não registava volumes de investimento tão elevados como em 2017.

No total, no ano passado foram investidos 24,3 mil milhões de euros, mais seis mil milhões de euros que em 2016, numa variação homóloga de 33,5%. Neste mesmo período, foram transacionados 226.617 imóveis, mais 13,5% do que no anterior. Desde 2008 até 2012 o setor registou sucessivas quebras, tendo começado a recuperar a partir de 2013.

Segundo os dados oficiais recolhidos pelo Gabinete de Estudos da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP), em 2017 transacionaram-se 226.617 imóveis (urbanos, rústicos e mistos), o que representou um aumento de 13,5% face ao período homólogo.

O total das transações imobiliárias realizadas, representou um investimento de mais de 24 mil milhões de euros, mais seis mil milhões de euros que em 2018, numa variação homóloga de 33,5%.

“Só em 2017 o imobiliário representou um investimento que representa um terço do programa de assistência económica e financeira, e que revela bem a importância que este sector tem no panorama económico nacional. E reitero aquilo que muitas vezes digo: estes números dizem apenas respeito ao investimento direto, porque indiretamente este valor multiplica-se com o investimento feito noutros sectores”, declara Luís Lima, presidente da APEMIP, citado em comunicado.

Norte vende mais, Lisboa vende mais caro

Dos 226.617 imóveis transacionados, 29,7% situavam-se na região Norte, seguindo-se a região Centro com uma representatividade de 25,6% e a Área Metropolitana de Lisboa, com 25,1%.

No que diz respeito aos valores de transação, foi a Área Metropolitana de Lisboa que agregou o maior valor de investimento, de mais de 12 mil milhões de euros (49,8% do total), seguindo-se a região Norte com 4,9 mil milhões de euros (20,3%) e o Algarve com 2,9 mil milhões de euros (11,9%).

“Apesar de haver mais transações na região Norte e Centro do que na Área Metropolitana de Lisboa, o valor investido na última é superior, representando quase metade do total do investimento feito em imobiliário em Portugal. Tal justifica-se pelo valor dos ativos nesta região que é superior, sendo também aquela que mais sofre da escassez de oferta imobiliária que se verifica hoje no mercado” diz o representante das imobiliárias.

Do total de ativos transacionados (urbanos, rústicos e mistos), 59,7% dizem respeito à venda de Alojamentos Familiares. Já no que toca a investimento, este segmento representa 79,4% do total das vendas.

Artigo retirado de: Idealista/News

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *